quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Só se trata de mim

Só se trata de mim

04 À 10 DE SETEMBRO
  72 Nomes da Semana
Vav Alef Lamed
17. Grande Fuga
Esse Nome atrai a maior de todas as liberdades: escapar dos desejos baseados no ego, nas inclinações egoístas e na mentalidade do “eu primeiro”.
Em seu lugar, você ganha as verdadeiras e duradouras dádivas da vida—família, amizade e plenitude.


Quantas vezes você olhou para trás, viu os destroços de um relacionamento e pensou: “O que foi que eu vi nessa pessoa?!” Não se sinta tão mal. Você não está sozinho. A verdade é que é da natureza humana não enxergar o que está bem debaixo do seu nariz.

“Eles têm olhos, mas não vêem”. O Rei David sabia do que estava falando quando escreveu essas palavras há tanto tempo atrás.

A questão é: por que não conseguimos enxergar? Porque somos viciados. Viciados em nós mesmos. Meu pai e mestre, o Kabalista Rav Berg, diz que a nossa alma sabe tudo que jamais poderíamos querer saber, mas nós encobrimos as coisas com nossos pensamentos obcecados por nós mesmos. “Não acredito que ela me disse aquilo.” “O que eles vão pensar de mim?” “Por que eles não estão prestando atenção em mim?”

Essa obsessão conosco é uma cortina de fumaça que bloqueia o que realmente está acontecendo ao nosso redor.

O segredo para nos superarmos é aprender a olhar primeiro para os outros e depois para nós. Somente então teremos o mérito de nos elevar acima das limitações dos nossos cinco sentidos e ligar o nosso sexto sentido. O sexto sentido é nossa capacidade de perceber o que nossos olhos não conseguem detectar, de receber as respostas para as perguntas que fazemos constantemente. É a essência do que estamos aprendendo com a Kabbalah. Lembre-se, a palavra “kabbalah” vem da palavra-raiz lekabel, que significa “receber”, e podemos receber quando nos conectamos com a Luz, não com o intelecto.

Essa semana, as forças do universo estão nos instigando a expandir nossa visão. Para conectar com essa influência positiva, temos que fazer o que os kabalistas têm feito há milhares de anos – concentrar-nos nos outros. Acreditem, é uma luta árdua. Eu tenho que trabalhar isso o tempo todo, lembrar constantemente de sair da consciência do “eu”. Isso é literalmente o que faço. Eu digo a mim mesmo: “concentre-se nessa pessoa, concentre-se nessa pessoa, concentre-se nessa pessoa”. E adivinha o que acontece: funciona. É claro que 30 segundos mais tarde tenho que repetir tudo de novo, mas repito. Repito, porque sei que a alegria, a saúde e a segurança que desejo para a minha família, amigos, alunos – e para o mundo – dependem da minha conexão com a Força da Luz do Criador. E essa conexão depende da minha conexão com vocês.

E então, como você está hoje?

Tudo de bom,

Yehuda

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...