quarta-feira, 1 de agosto de 2012

DESCOBRINDO A VERDADE - GERSON VARGES



Uma história encantadora, que mostra o caminho do MAGO, da MAGIA, do ENCONTRO com seu GUARDIÃO, ANCESTRAIS e CONSIGO MESMO. É com muita honra que apresento aos admiradores do blog um trabalho que merece nossa apreciação, mesmo porque, nosso objetivo é encontrar as ALMAS de LUZ que clareiam nossos caminhos, com depoimentos e mais do que tudo contando a VERDADE.

1º Capítulo

Texto de Gerson Varges 
Foto do perfil de Gerson Varges
Sempre fui fascinado pelo mundo espiritual, desde cedo, com uns 7 anos de idade já procurava por conta própria terreiros, igrejas, centros... e acabei por encontrar o livro de são Cipriano, o que não foi nada bom p mim. Eu uns amigos começamos a praticar o que estava ensinando nesse livro, é claro que essa prática não foi boa p nós, não demoramos muito a ver que nossas vidas pessoais e familiares foram afetadas de forma negativa. Tive a grande sorte de nessa época, conhecer um senhor, um xamã que morava isolado, retirado da cidade e que teve interesse em nos ajudar em sair desse poço em que entramos. Com a sabedoria que Deus lhe deu, ele nos ajudou a afastar essa egrégora negativa e começou a nos iniciar no xamanismo. Não tive a oportunidade de ficar muito tempo com ele mas, aprendi sobre a voz do vento, o povo pedra, os aliados... foi um período curto mas muito produtivo. Infelizmente ele nos deixou em pouco tempo, nunca mais o vi. Nós o chamávamos de Dom Juan, como nos livros do Carlos Catañeda, e ele não ligava, até gostava afinal foi ele quem nos indicou ler os livros dele.
Depois que perdi o contato com D. Juan, como era de se esperar, fui esquecendo o que tinha aprendido, fui deixando pra lá. Isso é normal, tudo que aprendemos e não praticamos, esquecemos. Com o tempo não sabíamos mais o que fazer com aquele conhecimento, éramos muito novos, 15, 16 anos. Nós deixamos ir se escoando gradualmente o aprendizado, as conversas que tivemos com D. Juan, os aliados, as experiências vividas. Tudo foi ficando no passado, e seguimos outros caminhos mais comuns.
Passados alguns anos, lá estamos nós, eu mais 2 amigos, na igreja evangélica. Pode parecer estranho mas nem tanto assim, nos idos dos anos 80 os evangélicos estavam começando a crescer e se tornar visíveis na sociedade, nessa época havia muitos cultos ao ar livre e foi em um desses que acabei me convertendo. Não posso dizer que foi ruim, a igreja me ofereceu um ambiente tranquilo, familiar e me ajudou muito a me expressar. Eu era um adolescente muito tímido e com o tempo e a convivência com muitas pessoas, fui me soltando. Depois fui estudar teologia no seminário e comecei a pregar na igreja, dar aula, evangelizar... isso foi muito bom para mim, aprendi a me comunicar de uma forma solta e fácil.
Com os anos comecei a me sentir meio vazio, parecia que o que eu dizia em relação a fé não fazia mais sentido, eu mesmo não conseguia mais acreditar nos dogmas e doutrinas que defendia, tudo parecia muito sem sentido, fora as contradições que fui vendo na bíblia, os absurdos que diziam ser a vontade de Deus. Tudo aquilo foi me fazendo perder a fé na igreja e na bíblia como representantes de Deus, como manifestação visível do reino de Deus na terra. Essa conclusão junto ao sentimento de vazio o acompanhou me deixou sem chão, como se eu tivesse passados vários anos da minha vida acreditando em uma mentira, uma farsa, muito bem feita mas, uma farsa. Era um sentimento incomodo e constante que me dava aflição; como pude acreditar tanto em algo que, agora, se esfacelava aos meus olhos? Como algo que eu pregava, ensinava e defendia com tanta certeza de repente não era mais a verdade? Foi uma transição difícil e dolorosa, ter que se despir de uma roupagem tão agradável já perfeitamente acomodada ao corpo como uma segunda pele não foi fácil. Fui pouco a pouco me distanciando da igreja e os ‘amigos’ religiosos quando me ouviam questionando os dogmas e verdades religiosas, também foram se afastando de mim. As amizades também eram religiosas e, apesar de se falar muito em amor e aceitação, o amor é exclusivo dos irmãos,e eu não era mais um irmão, não era mais da família, não era nem mesmo filho de Deus, afinal filho não questiona o Pai.  Mais isso acabou sendo bom, me fez ver o que realmente era a igreja e, me fez  que todo aquele papinho de irmão nunca foi de verdade, era só propaganda. E assim sozinho recomecei minha busca espiritual pela verdade, pela verdadeira espiritualidade se é que ela existisse mesmo. Fui em centros espíritas, na igreja católica, em algumas reuniões que não consigo determinar o que era realmente, estudos ufológicos... tentei me enquadrar em alguma coisa que fizesse sentido e que eu pudesse entender racionalmente, sem aquele papo de dogma. Não fui muito feliz em minha busca, invariavelmente quando começava a questionar certos pontos obscuros do que ouvia, era estimulado a não fazê-lo, primeiro tentavam me explicar com argumentos que não eram consistente, depois me estimulavam a sair do grupo. Descobri que questionar os ensinamentos não é o melhor caminho para ser aceito e, vi que esse é o comportamento padrão seja na igreja ou em qq grupo que se veja como detentor de alguma verdade superior.
Um dia, nun cochilo após o almoço, tive um sonho que me falava para ir em um lugar na mata, aonde já estivera antes mas, que não lembrava mais como chegar lá, era aonde costumava nos levar D. Juan para nos ensinar. Fazia tanto tempo que não ia lá, será que saberia voltar? Fiquei pensando, se deveria mesmo dar crédito a um simples sonho, já havia feito muito isso durante minha experiência evangélica e, nem sempre o resultado era o esperando. Mas não tinha nada a perder mesmo, por que não? Talvez alguém realmente quisesse me mostrar alguma coisa. Já eram 18h e começava a escurecer, tomei o caminho da mata, que ficava a mais ou menos 1h de casa, ao chegar na entrada da mata já era noite, tive medo de me perder e ter problemas mas já estava ali, não é do meu feitio recusar um desafio, voltar atrás por medo. Era uma trilha que subia em direção ao cume de um morro, fui seguindo a trilha até ela se dividir em 2 caminhos, parei e tentei lembrar por qual deveria seguir, arrisquei pelo caminho a direita, segui por algum tempo e me achei perdido, respirei e pensei comigo: vou voltar e seguir pelo outro caminho, se me perder de novo, volto e vou embora. Retomei a caminhada pelo outro caminho, para surpresa minha, fui reconhecendo a trilha e por fim cheguei em uma clareira no meio do mato com 2 grandes pedras, era mesmo o lugar onde costumava sentar com D. Juan para ouvir seus ensinamentos. Fiquei feliz e por algum tempo me perdi em lembranças. Logo percebi que havia algo para mim ali mas, não sabia o que, além de estar com medo de ficar em plena mata sozinho e sem saber bem pra que, fui procurar uns gravetos para fazem uma fogueira. Acendi a fogueira com fósforos e uma vela que levei e me sentei para ver o que iria acontecer. Não sei ao certo se foi um sonho, visão ou se realmente aquilo aconteceu ali mesmo mas, acho que foi um tipo de visão, comecei ouvindo uma voz dentro da minha cabeça:
__Até que enfim tu voltou.
__ Eu voltei? Como assim, quem está falando?
__Se preocupa não menino, tu já me conhece, somos amigos.
__ Quem é? De onde nos conhecemos?
__hahahaha, tá morrendo de medo, NE?
Fiquei em silencio esperando para ver se alguém aparecia ou se era só minha imaginação me enganando, tudo ficou quieto, até demais, percebi que os barulhos normais da mata haviam secado. Aquilo me deixou com uma sensação de pavor, eu suava de nervoso e pensava: que merda que eu fui fazer, me deixei levar por um sonho e agora to aqui, só e tendo alucinações auditivas.
E para piorar não conseguia me levantar para ir embora, estava com muito medo e, pelo menos ali tinha fogo e eu estava protegido de alguma coisa, mesmo que não soubesse do que exatamente.
__Menino não precisa ficar com medo não, tu já me conhece, só num tá lembrando.
__Quem é vc? Perguntei procurando manter a calma.
__ Sou seu espírito guardião, não lembra?
Fiquei quieto pensando no que a voz me falou, espírito guardião? O que ele quer dizer com isso?
__ Já esqueceu tudo que vc aprendeu com o velho? Sou seu espírito guia, pra te guiar na senda dos ancestrais.
Quando ele disse velho e senda dos ancestrais me lembrei do que D. Juan falava sobre ter os espíritos como guias para descobrir o nosso lugar, a nossa missão no mundo.
__Então vc é amigo  de D. Juan?
__Não eu não sou amigo de D. Juan, e nem sei se posso te chamar de amigo, amigo que esquece da gente não é amigo.
__Cara sinto muito mas não me lembro de vc, nem sei se vc existe mesmo ou se só estou viajando na imaginação, talvez eu esteja impressionado por estar aqui, ainda mais por ter vindo pra cá por causa de um sonho de barriga cheia.
Segui-se um silêncio por um longo tempo, talvez umas 2 horas.
__Bom menino, vc veio aqui em busca de respostas e querendo a cura da sua filha...
__Como assim, querendo a cura da minha filha? Eu nem sei o que eu to fazendo aqui.
__Fui eu que falei com vc no sonho. Sua filha não tá com problema de pele?
De fato minha filha mais velha estava com um problema sério de pele, já havia usado 11 remédios diferentes e em conjunto mas não apresentava nenhuma melhora. Era um tipo de alergia que estava tomando o seu corpo, deixando a pele vermelha e irritada, elem de coçar. Já não sabia mais o que fazer para que ela ficasse boa.
__É realmente minha filha tá com um problema de pele e...
__Eu sei, tenho te observado a muito tempo. Tenho visto suas andanças por aí, sua crentice chata. Achei graça quando te puseram pra fora da igreja.
__Pera aí, ninguém me pôs pra fora da igreja, fui eu que decidi sair por conta própria.
__Hahaha vc acredita nisso? Foi só vc começar a duvidar da bíblia que as pessoas se afastaram  de vc, seu trouxa. Hahahaha
O pior é que ele tinha razão, foi mais ou menos isso o que aconteceu.
__Vc foi deixado de lado como um saco de papel que não serve mais pra nada, é isso que eles fazem com quem não anda na cartilha deles. Vc é um babaca por ter ficado lá tanto tempo, era só pra ficar um tempo, aprender umas coisas e sair fora, ninguém mandou vc enterrar sua vida na quilo.
__Então vc tem me acompanhado todo esse tempo? Desde que conheci D. Juan?
__Desde o seu nascimento e até antes, mas isso é outra história. Eu te trousse aqui p gente retomar de onde paramos e por as coisas em ordem.
Bom pra resumir, voltei p casa na manhã seguinte mais confuso do que quando entrei na mata, na verdade não tão confuso, mas muito impressionado com tudo que ouvi. E ao chegar em casa minha filha não reclamava mais da alergia, apesar de ainda estar com várias manchas no corpo e, com o tempo elas desapareceram, mesmo sem ter continuado com os remédios. Dali em diante retomei meu caminho como xamã, me aprofundei e cresci e, hoje quero passar minha experiência a quem quiser ouvir.
Gerson Varges
Aguardem as próximas edições neste blog.

4 comentários:

  1. cara vc trocou Jesus por uma mera pessoa... qdo vc leu a Biblia vc ñ pediu discernimento pra Deus... ñ sei até onde vc leu mas igreja num ker dizer uma casa a igreja somos nós se seu coração está limpo o espirtio de Deus está presente pois O ESPIRITO SANTO SÓ SE ENCONTRA EM AMBIENTE LIMPO... se o teu sacrificio ñ foi de agrado ao olhos de Deus vc ñ precisaria fazer igual Caim só precisaria se humilhar e pedir misericordia para aquele q morreu numa cruz pra que nossas almas fosse livre da condenação.... eu sugiro q vc avalie sua decisão.. e repense... pq a salvação ela é individual...

    ResponderExcluir
  2. Que é isso Vargens, perdeu a noção cara, isso que relatou nada tem haver com o Eterno, acoselho vc a se concentrar unicamente em Deus e a seu filho Jesus segundo o Evangelho do Reino. Não inventa não bicho, continue racional, por favor.

    ResponderExcluir
  3. Olá Gerson! Tenho acompanhado seus vídeos. Sou católico praticante e penso que a maioria das coisas que vc disse são pensamentos lógicos e o que é mais importante, passam uma mensagem de amor ao próximo. É mais do que tolerância, pois quem se diz tolerante está se colocando superior ao outro achando que o outro é um pobre coitado que necessita de nossa tolerância. Mas o melhor que isto, vc passa uma mensagem mais cristã, que é o acolhimento do outro que pensa diferente, tem outra religião ou é ateu. Você que pelo que entendi segue o xamanismo ou é um xamã traz um exemplo de amor e acolhimento que eu gostaria de ver em muitos dos meus irmãos católicos. Tenho minhas convicções católicas e creio que qualquer pessoa, independente de qual religião professa ou mesmo os sem religião podem alcançar a salvação através do amor aos seus semelhantes. Fanáticos e ignorantes religiosos existem em todas as religiões, felizmente não faço parte desta turma de turbulentos que acabam dando um contra-testemunho para suas próprias religiões. Paz e Bem!

    ResponderExcluir
  4. Olá Gerson! Tenho acompanhado seus vídeos. Sou católico praticante e penso que a maioria das coisas que vc disse são pensamentos lógicos e o que é mais importante, passam uma mensagem de amor ao próximo. É mais do que tolerância, pois quem se diz tolerante está se colocando superior ao outro achando que o outro é um pobre coitado que necessita de nossa tolerância. Mas o melhor que isto, vc passa uma mensagem mais cristã, que é o acolhimento do outro que pensa diferente, tem outra religião ou é ateu. Você que pelo que entendi segue o xamanismo ou é um xamã traz um exemplo de amor e acolhimento que eu gostaria de ver em muitos dos meus irmãos católicos. Tenho minhas convicções católicas e creio que qualquer pessoa, independente de qual religião professa ou mesmo os sem religião podem alcançar a salvação através do amor aos seus semelhantes. Fanáticos e ignorantes religiosos existem em todas as religiões, felizmente não faço parte desta turma de turbulentos que acabam dando um contra-testemunho para suas próprias religiões. Paz e Bem!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...