terça-feira, 31 de julho de 2012

TODOS CONTRA AS DROGAS


Texto de Sandra UGA postado em 30/07/2012.

Todo MUNDO CONTRA as DROGAS, cada pessoa pode fazer sua parte neste que pode ser considerado um dos piores tempos do consumo abusivo de drogas tanto as lícitas como as proibidas. Digo isso porque me parece um carma da humanidade conviver com esse mal que não tem nenhum pudor em arruinar a vida de qualquer INDIVÍDUO, sem distinção de status, cor ou religião. Se em cada esquina (quadra aqui em Brasília) recrutarmos GENTE LÚCIDA para não é doutrinação, mas CONSCIENTIZAÇÃO do mal que as bebidas e consequentemente as drogas fazem principalmente para os JOVENS, poderemos ajudar muita gente a CAIR A FICHA e perceber que podemos 

COMEMORAR, SER FELIZ SEM PRECISAR FAZER USO DE QUALQUER DROGA, seja ela lícita ou ilícita

.
  Esta Campanha deve alertar e conscientizar jovens e adultos do grande mal que acarreta certos costumes e hábitos que se instalaram em nossas vidas e culturalmente são aceitáveis pela sociedade sem questionar que estamos sendo manipulados e estimulados, principalmente pelas propagandas nas mídias de que bebendo você é feliz, isto é uma verdadeira mentira e precisamos com certa urgência tirar a máscara deste monstro que aparece na propaganda estampada com cara de alegria e saúde.
Não podemos mais aceitar esse tipo de incentivo ao vício e exterminar o mal pela raiz, acabando de uma vez como foi feito com as propagandas de cigarros e volto a destacar que é preciso estabelecer leis mais rígidas quanto aos fabricantes e distribuidores de bebidas alcoólicas, responsabilizando-os a ajudarem na recuperação de indivíduos viciados em bebidas lícitas, construindo locais adequados para o tratamento e desintoxicação alcoólica feita gratuitamente para pelo menos A METADE da população existente que já são considerados DEPENDENTES QUE BEBEM SOCIALMENTE.

O pior de tudo isto são os jovens que em grande escala, se deixaram seduzir por tão pouco e se embriagam para ganhar confiança e uma falsa alegria. Temos visto todos os dias o que esta combinação de bebidas alcoólicas esta produzindo, matando no trânsito indiscriminadamente, acabando com suas vidas e de outras tantas. As bebidas alcoólicas são vendidas nos postos de gasolina, nas padarias, restaurantes, supermercados, mercearias, aeroportos, onde você estiver existe uma birosca que venda bebidas alcoólicas, o que esta acontecendo com nosso bom senso, sendo que no fundo sabemos o quanto este tipo de produto tira qualquer um do seu eixo, de sua centralidade, sabotando o sistema nervoso, agredindo seu fígado, estômago, baço, fragilizando todo seu organismo e o pior de tudo acabando com a liberdade de ser VOCÊ MESMO.
Estou imbuída nesta Campanha de Corpo e Alma, porque percebi que estamos sendo vítimas de um mal maior, o MAL DA ILUSÃO, esta ILUSÃO que inebria e te põe na mão de todos os fabricantes de bebidas alcoólicas e desta forma perdemos nosso Poder Pessoal, transferindo-o para outros que manipulam indiscriminadamente nossa VONTADE DE SERMOS FELIZES.  Esquecemo-nos de averiguar o conteúdo que ingerimos, se contém ingredientes que tiram nossa percepção das coisas e nos deixam CHAPADO, OU TAPADO para a Real situação. Esquecemo-nos de ponderar o porquê disso ou daquilo, questionando, para que questionar se é mais fácil seguir a maioria de uma população embriagada para esquecer a dor da desilusão, da desesperança, da separação do seu SAGRADO.
Cristo deixou uma mensagem quando fez seu primeiro milagre nas bodas de Canaã, transformando água em vinho sendo que os convidados se espantaram tamanha a diferença de sabor deste vinho do final da festa.  JESUS O VERDADEIRO ALQUIMISTA, não fez esse milagre atôa, Ele quis passar a responsabilidade de se produzir o VINHO CRÍSTICO, o qual não contém nenhum álcool, mas a BEBIDA feita para a ALMA. Nossos fabricantes de bebidas não conseguiram alcançar tão elevado feito e o pior é que nem se preocupam em consertar o mal que acarretam destruindo famílias inteiras, vidas que se apagam nas estradas pela inconsequência que a ingestão de álcool gera. Leia " O Evangelho de Rousteing" editado pela FEB, para saber mais sobre os "milagres de Jesus".
As grandes e pequenas industriais de bebidas alcoólicas devem se aprimorar e tentar reproduzir a FORMULA SACRADA DO VINHO DE JESUS, para embebedar não o corpo físico, mas trazer a sensatez para o cérebro e a mente, transformando álcool em elixir da ALMA. (Acho muito improvável que aconteça isto um dia, mas não custa nada dar a ideia)
Vamos fabricar mais produtos saudáveis e que estimulem não à morte, mas a vida livre das drogas.
Sandra UGA
 
EMBRIAGUE-SE mais de AMOR, BEBA O VINHO CRÍSTICO QUE NÃO CONTÉM ÁLCOOL, mas o SABOR da LIBERDADE em sermos LÚCIDOS, CENTRADOS E VERDADEIRAMENTE FELIZES, SEM PRECISARMOS PARA ISTO NOS EMBEBEDAR.

EMBRIAGUE-SE na CONTEMPLAÇÃO da NATUREZA, do BELO, da SIMPLICIDADE e de SI MESMO, ACEITANDO-SE e SE AMANDO PORQUE É SE RESPEITANDO E CONSTRUINDO UMA AUTOESTIMA FORTE QUE CONSEGUIREMOS DESATIVAR ESTA ARMADILHA QUE AINDA APRISIONA MILHARES DE PESSOAS E PRINCIPALMENTE DE JOVENS CARENTES DE SI MESMOS.
Sandra UGA

domingo, 29 de julho de 2012

AVES DE BRASÍLIA - Confira este trabalho maravilhoso


No Blog Brasília por Chico Sant'Anna

Você conhece as aves de Brasília? Conheça aqui a Choca-Barrada

Texto baseado no Wiki Aves, a Enciclopédia das aves do Brasil. Fotos de Evando F. Lopes. Publicado originalmente no portal Águas Emendadas.
A Choca-Barrada (Thamnophilus doliatus) é uma ave passeriforme da família Thamnophilidae. Ela também é conhecida como maria-cocá e, no interior paulista, por gata-véia.
Características
Domina no macho a coloração negra, enquanto na fêmea ela é amarronzada. Entretanto, o macho é todo barrado (razão de um dos nomes comuns), exceto pelo negro uniforme do alto da cabeça, enquanto a fêmea possui somente os lados da cabeça estriados. Na ave adulta, o olho é branco com leve tom amarelado (marrom avermelhado nos juvenis). Também mantém as penas da cabeça eriçadas boa parte do tempo, em um topete muito destacado. Apresenta um comprimento de 16 centímetros.

Você conhece as aves de Brasília? Conheça aqui a Alma-de-Gato.

Textos do Wiki Aves A Enciclopédia das aves do Brasil. Fotos de Evando F. Lopes. Publicado originalmente no  portal Águas Emendadas
A alma-de-gato é uma ave cuculiforme  da família Cuculidae . Também é conhecida pelos nomes populares de alma-de-caboclo, alma-perdida, atibaçu, atingaçu, atingaú, atinguaçu, atiuaçu, chincoã, crocoió, maria-caraíba, meia-pataca, oraca, pataca, pato-pataca, piá, picuã, picumã, rabilonga, rabo-de-escrivão, rabo-de-palha, tincoã, tinguaçu, titicuã, uirapagé, urraca, pecuã e no Rio Grande do Sul, lá pelas bandas da fronteira, o gaúcho chama essa bela ave de, “Pilincho”.
Etimologia: Piaya – origem desconhecida; Cayana – de Caiena, na Guiana Francesa.

Você conhece as aves de Brasília? Conheça aqui o beija-flor-tesoura

Textos baseados no Wiki Aves A Enciclopédia das aves do Brasil.Fotos de Evando F. Lopes.
Publicado originalmente no  portal Águas Emendadas
Os beija-flores são sem dúvida um dos grupos de aves mais típicos do continente americano, com suas cores iridescentes, rapidez descomunal, capacidade de pairar no ar e tamanho reduzido. O beija-flor-tesoura (da espécie E. macroura) é talvez o integrante mais famoso desse grupo, ao menos no Brasil não amazônico, provavelmente pela sua abundância em locais urbanizados, pela beleza de sua coloração, pela tesoura facilmente reconhecível e principalmente pelos seu comportamento abusado, é um dos maiores e mais briguentos beija-flores. É também conhecido como beija-flor-rabo-de-tesoura e tesourão.
O nome científico deles é Eupetomena macroura e pertencem ao reino Animalia. Filo: Chordata, ordem: Apodiformes. São da família das Trochilidae, subfamília: Trochilinae.


Você conhece as aves de Brasília? Conheça aqui o bico-chato-de-orelha-preta

Textos baseados no Wiki Aves
a Enciclopédia das aves do Brasil.Fotos de Evando F. Lopes.
Publicado originalmente
no  portal Águas Emendadas
O bico-chato-de-orelha-preta (Tolmomyias sulphurescens) é uma ave passeriforme da família Rhynchocyclidae. Na sua plumagem, pode-se notar a cor acinzentada da cabeça, onde ressalta-se uma área branca ao redor dos olhos e à frente, até o bico. Na ave adulta, o olho é cinza claro, característica ótima para identificá-la (no juvenil, olho marrom).
Um leigo pode até pensar que está diante de um canário da terra. Mas ele tem o bico é branco em baixo e escuro em cima, outro detalhe importante na determinação. Garganta clara. Nas asas, duas faixas amareladas, com as penas longas de voo com a borda clara. Barriga amarelada, com o peito levemente acinzentado.

Você conhece as aves de Brasília? Conheça aqui o Caboclinho.

Texto e fotos por Evando F. Lopes, do portal Águas Emendadas
O caboclinho (Sporophila bouvreuil) é uma ave passeriforme da família Emberizidae. Conhecido também como caboclinho-verdadeiro, caboclinho-de-cabeça-marrom, fradinho (Pernambuco), caboclinho-paulista, caboclinho-coroado, bico-de-ferro (Rio de Janeiro), ferrinha, caboclinho-lindo (Amapá e Minas Gerais), cabocolino (Pará e Ceará), coleirinho-do-brejo e caboclinho-frade.

Você conhece as aves de Brasília? Conheça aqui o Cardeal-do-Nordeste.

Textos do Wiki Aves A Enciclopédia das aves do Brasil.Fotos de Evando F. Lopes.
Publicado originalmente no  portal Águas Emendadas
Cardeal-do-Nordeste capturado pelas lentes de Evando Ferreira Lopes, nas proximidades do Parque Nacional das Águas Emendadas
Pássaro de extraordinária beleza física, o Cardeal-do-Nordeste (Paroaria dominicana) é uma ave passeriforme  da família Thraupidae . É conhecido também como galo-da-campina, cabeça-de-fita e cabeça-vermelha.
Características
Mede cerca de 17,2cm. Plumagem de cabeça vermelha, curta e ereta, sobretudo na nuca do macho. Partes superiores cinzentas exceto o dorso anterior que é composto de penas negras no ápice e brancas na base, o que dá ao conjunto um aspecto escamoso de negro e branco. Dorso posterior e coberteiras superiores das asas manchadas de negro; maxila anegrada, mandíbula cinzento-clara.

Você conhece as aves de Brasília? Conheça aqui a “freirinha”.

Texto e fotos por Evando F. Lopes, dPortal Águas Emendadas
A freirinha (Arundinicola leucocephala) é uma ave passeriforme da famíliaTyrannidae. É a única espécie do gênero Arundinicola. Conhecida também como lavadeira-de-cabeça-branca, lavadeira-de-nossa-senhora, maria-velhinha, viuvinha, viuvinha-do-brejo, cabeça-de-louça e cabeça-de-vô.
Ouça aqui o canto da freirinha
Características
O macho é quase todo preto, com apenas a cabeça e a garganta brancas. A fêmea tem as partes superiores marrom-acinzentadas, as inferiores esbranquiçadas e apenas a testa branca. Os imaturos são acinzentados. A cauda, pequena, contrapõem-se à cabeça relativamente grande (ressaltada por manter as penas um pouco eriçadas). Apresenta um peso de 14g e um comprimento 14 centímetros.
Alimentação
Alimenta-se de insetos que captura em pleno vôo.
Reprodução
Vive normalmente aos casais. O ninho, em forma de bola, se assemelha ao daLavadeira-Mascarada (F. nengeta). O interior do ninho é forrado de penas de outros pássaros e sempre é colocado em algum suporte sobre a água. A postura consta de 2 a 4 ovos de cor branco-amarelada com pequenas pintas vermelhas. Os filhotes nascem cobertos por uma longa plumagem amarelo-claro, imitando uma lagarta tóxica.
Hábitos
Comum em brejos, banhados, margens de rios e lagos. Permanece a maior parte do tempo pousada no alto da vegetação aquática ou em troncos e ramos baixos sobre a água. Executa vôos curtos e rápidos para apanhar insetos. Essa espécie vive exclusivamente perto da água, diferindo da F. nengeta que também pode ocorrer e nidificar longe da água.
Distribuição Geográfica
É uma espécie migratória. Ocorre em quase todo o Brasil, menos na região sudoeste da Amazônia. É encontrada também nos outros países da América do Sul, com exceção do Chile. Pela ampla área de distribuição e quantidade de indivíduos registrados, essa espécie é considerada como Pouco Preocupante (LC) de extinção na natureza.

quinta-feira, 26 de julho de 2012

REFLEXÕES SOBRE RELIGIÃO com GERSON VARGES parte I



A PARÁBOLA DO BOM SAMARITANO

Jesus contou uma estória: Um homem caminhava de Jerusalém para Jericó quando foi assaltado, espancado e deixado como morto na estrada. Passava por ali um sacerdote (padre, pastor, babalorixá...) e ao ver o homem caído, fez como se não o tivesse visto e passou ao largo. Depois passou pela mesma estrada um levita (coroinha, maestro de coral, presidente de juventude, cambono de terreiro...) e tb passou de lado, tomando cuidado de não esbarrar no maltrapilho caído na estrada. Logo depois passou um samaritano, pessoa que na época era tido pelos religiosos como um pária social e indigno; tal como um judeu na Alemanha nazista ou um cristão no Irã ou, ainda um ateu na sociedade atual. E ao ver o homem caído e surrado, o pôs encima de  seu jumento, o levou a uma hospedaria e pagou ao estalajadeiro p cuidar dele e o alimentar e disse que se o dinheiro que havia pago não fosse o suficiente, que na volta pagaria o que faltasse. 
Essa é a exata diferença entre ser religioso, como o sacerdote ou o levita, e ser espiritualmente evoluído como o samaritano.
Gerson Varges

REFLEXÕES SOBRE RELIGIÃO parte II


Religião : O Grande Erro

Contribuição de Ordem Universal dos Seres Estelares O.U.S.E
Em 1978, cerca de 918 pessoas, acreditando nas previsões do reverendo Jim Jones, se uniram naquilo que seria conhecido mais tarde como um dos maiores casos de suicídio em massa que este planeta já teve notícia. Este fato teve repercussão mundial e chocou todos os Estados Unidos.
O reverendo Jim Jones, de 57 anos, convenceu grande parte dos seus 2.000 fieis da comunidade de Jonestown, nas Guianas, de que estes deveriam beber um suco de uva envenenado. E, durante uma reunião, os 918 seguidores, incluindo crianças morreram. 
Eu me pergunto como tantas pessoas puderam ser controladas e manipuladas daquela maneira. É incrível e assustador como - com o pretexto de Deus - a grande maioria da sociedade vem sendo controlada pela minoria. E, assim como fez Jim Jones, usar a religião, a crença em algo maior  para dominar o povo é muito mais simples do que se imagina.
Deste modo, a palavra religião vem do latim religare, que significa religação com o divino. Agora, eu pergunto: A religião, tal qual conhecemos, faz o que o seu significado etimológico sugere ? Como surgiu a religião ? E onde está o mal entendido ?


Muito bem, se quisermos entender o surgimento da religião, teremos de fazer uma viagem no tempo. Voltaremos para a pré - história, há uns dez mil anos atrás, exatamente no período neolítico. Nesta época, as sociedades tribais eram nômades, de modo que não possuíam morada fixa. Segundo o que contam nossos livros de história, após alguns caçadores destas tribos descobrirem que poderiam semear e cultivar o próprio alimento enterrando sementes no chão, eles começaram a se prevenir dos perigos da caça na floresta -até este ponto, a sua principal fonte de subsistência.
                                                                                                                             

O grande problema para estas sociedades tribais foi a descoberta de que, mesmo adquirindo conhecimentos acerca da agricultura, somente isso não era garantia de boa colheita. Eles precisavam de um clima propício e de situações adequadas. De modo que eles perceberam que eram altamente dependentes de situações externas aos seus poderes para que pudessem continuar vivos. Ora, se não houvesse a chuva para que a semente absorvesse os nutrientes ou o Sol para que está pudesse crescer, como se alimentariam ? Está - naquela época - era uma questão de suma importância para eles.
Criou-se, então, nessas tribos, uma certa percepção de que algo regulava o aparecimento do Sol, o aparecimento da chuva ou da noite. Não tendo eles a mínima condição de tratar sobre estes temas, começaram a especular. Surgiu, daí, um conceito muito simplório - mas que até hoje tem poder - de que se chovia era porque alguém o fazia, alguém o mandava; se o Sol aparecia era porque alguém - claramente maior do que eles - o decidia. Desta forma, eles começaram a personificar e cultuar esses tais seres maiores do que eles na esperança de boa colheita. Deu-se o mito da separação.
Muito bem, é neste ponto que eles criam o que nós chamamos de deuses. Como não podiam controlar o Sol, era o deus Sol quem o fazia;como não podiam controlar a chuva, era o deus da chuva quem o fazia. Criou-se uma infinidade de deuses, cada um responsável por determinada função. Cria-se também uma certa ideia de autoridade sendo exercida por esses deuses. Se esses seres poderosos controlavam a chuva e havia a falta desta para a plantação, eles julgavam que isso era castigo do deuses. Se não, qual seria o motivo dos deuses deixarem a tribo inteira sem mantimentos ? 
Com o avanço da comunicação e baseando-se em suas próprias experiências, começaram a criar formas de agradar os deuses, pois acreditavam que, dessa maneira, a tribo seria presenteada com alimentos e abonança. Surge uma infinidade de princípios e dogmas para que se regule esse agrado aos céus. Mais na frente, com a evolução do homem, este sistema se torna mais e mais complexo, mas, tendo sempre a mesma estrutura base que a originou.
Religação com o Divino ? Com certeza, não. Eu acredito que religião é a maneira mais eficaz de se afastar um homem do conhecimento do que é Deus. E o problema não é a religião em si, mas, a ideia que temos dela. Nós criamos e apoiamos um conceito muito perigoso quando tratamos de religião. Sinto que não evoluímos muito desde a pré-história até os dias de hoje. Me pergunto até se muitos de nós não fariam o mesmo que os fieis do reverendo Jim jones fizeram, quando estes estavam na Guianas.
É espantoso notar que nós ainda acreditamos - ignorantemente - que existe um ser maior que está fora de nós, ao qual damos o nome de Deus. Ou seja, do mesmo modo que os primitivos tribais, nós estamos presos. Nós somos prisioneiros desse Deus, pois ele exerce autoridade, ele é maior do que nós. Sempre que julgamos que alguém é mais do que nós, nesse momento perdemos o contato com o Todo. E Deus não pode estar onde existe divisão.
E, quando eu falo de religião, nisto estão incluídos o espiritismo, o catolicismo, o budismo... todos. Se seguimos alguma religião, mesmo que nos julguemos espiritualistas ou não, estaremos fora desse espaço divino; estaremos separados de nós mesmos.
Mas, o espiritismo, budismo ou hinduísmo não são coisas mais espiritualizadas, por que entram nesta lista ?  É preciso que entendamos que toda e qualquer forma de pensamento que busque conceituar a vida em princípios, dogmas, verdades a serem seguidas são um erro, pois elas nos fragmentam. No momento em que você tem de escolher, você já perdeu a totalidade das possibilidades de Deus. Quando existe divisão, há o sofrimento.
E todo conceito ou ideia que nós temos sempre nos afasta desse poder de luz. Aí, você me pergunta : Se toda a ideia me afasta, como eu posso ter um conceito da vida que não me separe de Deus, do Todo ? Simplesmente, não tendo conceitos. Só que, desta forma, nós nos sentiríamos muito frágeis e vulneráveis, você não se sentiria ?
É dessa fragilidade que surge a religião, que surge a necessidade de segurança; desta falsa segurança - que mais parece um manual de instruções sobre como viver a vida -é que são formadas as religiões. É justamente da nossa falta de seriedade em trazer o poder e a responsabilidade para nós que temos passado por grandes sofrimentos em nossas vidas. Sempre esperamos que o nosso Deus - seja lá qual Deus nós tenhamos criado - nos ajude e nos proteja. 
Não é inteligente buscar respostas em padres, pastores ou qualquer quer seja a autoridade religiosa que busquemos. Primeiro, que qualquer ideia de autoridade é uma bobagem, é falta de conhecimento. Na esfera de Deus não existe mais ou menos, existe  apenas o que é.
Nós temos a grande mania de criar, de ver o poder fora de nós mesmos. Estamos sempre buscando alguém responda as nossas perguntas, que cure as nossas doenças, que faça isso, que diga aquilo. Nós nunca queremos nos responsabilizar pelas coisas; acreditamos - assim como os tribais - que não temos o poder e que alguém tem a condição de realizar para nós.
Nós tiramos o poder de nós e damos para a Virgem Maria, para o pastor, para o padre, para o guru, para o político, para o mestre, para o marido, a esposa, para Deus... para todos, menos para nós mesmos.  Isso é pura ignorância.


Mesmo aqui, eu percebo o surgimento de mais uma espécie de¨religião¨. A chamada Nova Era de que todos falam. De que com a sua chegada teremos a quinta dimensão, de que o comando Ashtar vai nos livrar do mal, de que, neste momento, somente eles podem nos ajudar ... tudo isso se assemelha com as mesmas promessas de salvação e de melhoria sem esforço de que tanto já ouvimos de todas as religiões.
Será que não percebemos que mesmo que o comando Ashtar exista, ou que chegue a tal Nova Era, que mesmo assim, sem que façamos a nossa parte nada vai mudar ? Mas, você está criticando até este blog, Wison ?  Não, eu critico a grande maioria das pessoas que o frequenta e que tem dado tanta atenção e esperança a todo e qualquer ¨pronunciamento¨dos ascensionados e que, mesmo que não percebam, abrem portas para o surgimento de mais uma ¨religiãozinha¨ que estabelece princípios a serem seguidos e tomados como verdades. 
Eu não sou contra nenhum mestre, muito menos ser iluminado. Eu sou contra a falta de  preparo das pessoas em receber seus ensinamentos sem que se apoiem neles como se fossem duas muletas.
Eu acredito que a vida diária deve se tornar mais importante do que estas coisas ilusórias que sempre estamos procurando fora. Quando dermos mais atenção ao nosso interior, a nossa melhoria através da análise, nesse dia, sim, talvez não seja necessário que nenhuma das milhares de naves -  de que tanto ouvimos falar - precise descer para nos socorrer, muito menos, de qualquer outro fator externo que não seja a nossa compreensão de que precisamos mudar aja. Neste dia, não haverá mais conflito e, sim, mais união.
Às vezes, eu me pergunto: Com toda esta dependência de seres iluminados, ascensionados, mestres ou gurus, se estamos nós sendo diferentes dos fieis do reverendo Jim Jones ? 
¨Quando o discípulo viu o sábio, este se ajoelhou em frente aos seus pés em tom de reverência. O sábio, repentinamente, puxou o seu discípulo para cima desfazendo o seu ajoelhar de maneira brusca. Como não entendera nada, eis que o rapaz questiona : 
 --- Por que fez isso, mestre ? O sábio responde :
 --- Eu não posso permitir que o Deus que está em você se curve ao Deus que está em mim. ¨
Vai chegar o dia em que desenvolveremos tal compreensão. Neste dia, a humanidade não mais precisará de religiões, nem de padres, pastores ou de mestres. Não mais veremos autoridade em nenhum lugar.
Estaremos unidos com esta consciência universal e crística que é nossa diretamente. Perceberemos que toda a necessidade de intermediários que nos liguem a ela é uma ilusão e que a divindade é nossa por direito.
______________________________
Muito obrigado pela leitura, amigos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...